(19) 3256-2525 / (19) 3256-4114

Promover e manter atividades filantrópicas e beneficentes, de natureza educacional, cultural e assistencial, em regime de abrigo com acolhimento, assistência integral, amparo e apoio às crianças e adolescentes abandonadas, vítimas de maus tratos ou qualquer outra situação de risco pessoal ou social.

nosso compromisso

Garantir proteção integral (moradia, saúde, alimentação, higienização, vestimenta), acesso a vivências lúdicas e recreativas, a educação formal e atenção especializada para crianças e adolescentes encaminhados pela Vara da Infância e Juventude, que se encontram sem referência e/ou em situação de ameaça necessitando de acolhimento institucional em caráter excepcional e transitório, trabalhando o fortalecimento dos vínculos familiares e da rede significativa da criança / adolescente com vistas à reinserção familiar e comunitária.

Dentre as áreas de trabalho dentro do serviço destacamos:

TRABALHO SOCIAL

Na esfera social nosso trabalho tem como objetivo a reinserção da criança / adolescente ao convívio familiar e comunitário; garantindo a convivência entre irmãos e com a rede significativa da criança adolescentes, bem como o acesso a documentação e a rede de proteção social e programas de transferência de renda. Para tanto são proporcionadas visitas semanais nas quais a família e a rede significativa possa ter contato com criança / e a vinculação pode ser mantida e fortalecida.

Durante o período de permanência no serviço buscamos propiciar o desenvolvimento individual e grupal, trabalhando a prevenção e proteção contra riscos e mantendo o registro de seu histórico em prontuários.

A equipe dentro do Plano Individual de Acolhimento procura garantir meios para que todas as crianças / adolescentes tenham restabelecidos seus direitos, o desenvolvimento de suas potencialidades e a conquista de um maior grau de independência individual e social. Cabe também à equipe multidisciplinar do serviço fornecer relatório elaborado à autoridade judiciária competente para a reavaliação da situação da criança/adolescente, no máximo, a cada 6 (seis) meses para com isto, decidir de forma fundamentada pela possibilidade de reintegração familiar, ou colocação em família substituta, em quaisquer das modalidades previstas no art. 28 da lei 12010 de 3 de agosto de 2009.

TRABALHO EDUCACIONAL

O projeto desenvolvido na instituição busca proporcionar experiências educativas e culturais que gerem melhor qualidade de vida para dada criança / adolescente, e proporcionem desta forma, o desenvolvimento de conhecimentos e valores para a sua formação enquanto cidadão. Para tanto se faz necessário o desenvolvimento de senso crítico, o que leva a criança / adolescente a conhecer, avaliar e assumir as consequências de suas ações.

Entendemos que o desenvolvimento e a maturação social / educativa poderão ser atingidos com maior eficácia, através de atividades e ambientes fisicamente agradáveis, acolhedores, organizados, e que proporcionem o acesso a todos os envolvidos no processo educacional.

Com relação à educação formal o trabalho é encaminhar e matricular crianças e adolescentes de acordo com sua faixa etária, providenciando tudo que é necessário: uniforme, transporte e material pedagógico. O acompanhamento escolar na entidade é desenvolvido como uma complementação do que se aprende na escola, no qual, crianças e adolescentes tiram suas dúvidas e realizam as tarefas escolares.

CUIDADOS NA ÁREA DA SAÚDE

O Lar da Criança Feliz busca proporcionar, através de recursos próprios, da rede pública de serviços e do trabalho de profissionais voluntários, assistência médica, odontológica preventiva e curativa e diversos atendimentos / acompanhamentos terapêuticos. 

Desde 2010, o Lar da Criança Feliz com a colaboração do Sindicato dos Rodoviários passou a inserir todas as crianças no Plano de Saúde, agilizando, e contribuindo assim na prevenção.

Para tanto a equipe conta com uma profissional, desde o final de 2008, para acompanhar a área da saúde. Essa profissional é responsável pela observação sistemática da saúde de todas as crianças desde o acolhimento até o desacolhimento; realiza encaminhamentos, manutenção da vacinas atualizadas, cuida da agenda de atendimentos diários e orienta a equipe operacional.

INCENTIVO AO LAZER

As brincadeiras e atividades lúdicas são fundamentais para o desenvolvimento global do indivíduo, pois através do lúdico o indivíduo cria uma nova relação entre situações do pensamento e situações reais, contribuindo assim para o processo de socialização e oferecendo oportunidades de vivências coletivas e resignificações individuais. Além disto, estimula o processo da aprendizagem, o cognitivo, o social e afetivo, a auto-expressão, o desenvolvimento de habilidades básicas e aquisição de novos conhecimentos.

Isto posto é nosso dever permitir a participação das crianças / adolescentes em atividades, lúdicas, recreativas, culturais, esportivas, artísticas, garantindo assim a liberdade e facilidade de acesso a estas atividades, respeitando a individualidade de cada um.

ACOMPANHAMENTO PSICOLÓGICO

Diante do público atendido na Instituição, com seu histórico de vida específico e delicado, de afastamento algumas vezes, abrupto, da família e seus desdobramentos, e do sentimento de abandono e desamparo inerente a esta condição faz-se necessário um trabalho multiprofissional para observar, avaliar, orientar e realizar encaminhamentos específicos e individualizados para cada criança e adolescente objetivando amenizar traumas, e promover condições para o seu desenvolvimento emocional com vistas a reconstrução de sua história e o fortalecimento de sua auto-estima. Para tanto, ao final de 2008, uma profissional da área da psicologia veio integrar a equipe do Lar da Criança Feliz, buscando agregar o conhecimento científico específico desta área do conhecimento humano.

Dentre algumas atividades desenvolvidas pela psicóloga estão: acolhida / recepção e escuta; atendimento e estudo familiar; construção do plano individual e/ou familiar de atendimento com a família / criança / adolescente; visitas e entrevistas domiciliares; monitoramento das visitas da família de origem e/ou extensa; preparação para transferência ou retorno ao convívio familiar; atendimentos grupais e individuais com vistas a encaminhamentos; observação e avaliação junto à equipe e encaminhamentos necessários às diversas áreas da saúde (terapeutas, psicólogos, fonoaudiólogos, etc.); elaboração de relatórios e/ou prontuários internos e/ou subsidiando e acompanhando o processo judicial junto à VIJ; coordenação da equipe de voluntários; escuta e orientação à equipe técnico-operacional.